quarta-feira, maio 22, 2024

Empresas que aplicam o ESG corretamente possuem maior retorno financeiro

Compartilhar

O comprometimento das empresas com práticas ESG (ambiental, social e governança) tem refletido positivamente no mercado financeiro, conforme revelam dados da MSCI ESG Research: em 2020, organizações com alta classificação ESG alcançaram um retorno total médio de 27,46%, superando a média de mercado de 22,14%. Considerando a importância dessa estratégia sustentável para todas as corporações, a governança é um dos pilares fundamentais que garantem um sucesso empresarial mais ético e em conformidade com as necessidades contemporâneas. 

De acordo com Bia Nóbrega, especialista em Desenvolvimento Humano e Organizacional com quase 30 anos de experiência, compreender e implementar os princípios de uma governança eficaz não é apenas uma questão de compliance, mas uma estratégia que fortalece a integridade e a transparência, fatores decisivos para a perenidade das empresas. “A governança forte não se limita a criar regras ou políticas. É sobre criar um ecossistema onde cada decisão suporta a sustentabilidade integral da empresa. Esse compromisso é essencial para cultivar a confiança dos stakeholders e garantir uma trajetória de crescimento sustentável”, conta. 

Para a especialista, adaptar-se às exigências do ESG é mais do que uma necessidade, mas uma oportunidade para inovar e liderar no mercado global. Governança, ou governança corporativa, refere-se, segundo o Instituto Brasileiro de Governança, é “um sistema formado por princípios, regras, estruturas e processos pelo qual as organizações são dirigidas e monitoradas, com vistas à geração de valor sustentável para a organização, para seus sócios e para a sociedade em geral.” 

Esse sistema baliza a atuação dos agentes de governança e demais indivíduos de uma organização na busca pelo equilíbrio entre os interesses de todas as partes, contribuindo positivamente para a sociedade e para o meio ambiente.

“Essas iniciativas são complementadas por uma forte ênfase em valores morais e éticos nos negócios, valorização da prestação de contas e da responsabilidade corporativa, além da veracidade das informações sobre produtos e processos”, explica. Essas práticas também se apresentam como um diferencial competitivo. Além disso, empresas comprometidas com o ESG tendem a enfrentar menos riscos legais e trabalhistas, experimentam redução de custos operacionais e ganhos de produtividade e aumentam a fidelização de clientes que priorizam o consumo sustentável. “Esses pontos elevam a imagem e reputação da marca, melhoram o acesso a linhas de crédito e promovem altos índices de satisfação e retenção de talentos, consolidando a posição da empresa no mercado”, completa Bia.

Uma governança bem feita promove a reflexão sobre os impactos dela nas pessoas, nas empresas e na sociedade. Discutir esses princípios é essencial para entender como as práticas ESG podem beneficiar tanto as organizações quanto a comunidade em geral. Com o objetivo de preparar profissionais para esta nova realidade, há diversos cursos que capacitam na identificação de oportunidades por meio da tecnologia e no desenvolvimento de estratégias que geram impacto positivo e abundância para as empresas.

“Aqueles que adotam práticas de governança demonstram não apenas respeito pelas normativas atuais, mas também um compromisso com o futuro. A incorporação dos princípios de ESG em suas estratégias eleva seus padrões operacionais e fortalece sua posição no mercado, atraindo investidores, parceiros e clientes que valorizam a responsabilidade corporativa e a sustentabilidade”, conclui a executiva, convidando todas as organizações a refletirem sobre suas práticas atuais e a buscarem a excelência.

Leia Mais

Outras Notícias