sexta-feira, julho 12, 2024

Grupo L’Oréal no Brasil lança programa de tecnologia para promover capacitação de 150 jovens adultos no País

Compartilhar

O Grupo L’Oréal no Brasil, em parceria com a Fundação Darcy Vargas e o Instituto Precisa Ser, com uma das suas frentes de atuação “Vai na Web”, vão oferecer formação tecnológica para jovens adultos de até 35 anos. O objetivo é desenvolver competências e habilidades nas áreas digitais, a fim de contribuir com a empregabilidade no País, tendo em vista o cenário atual que mostra uma alta demanda na área, mas poucos profissionais qualificados. De acordo com um levantamento feito pelo Google, até 2025, teremos um déficit de 530 mil profissionais no ramo de tecnologia.

O lançamento do Beleza Inclusiva e Tecnológica (BIT) é uma iniciativa que chega para reforçar a jornada do Grupo L’Oréal em se tornar a maior “Beauty Tech” do mundo, oferecendo experiências ultrapersonalizadas de beleza por meio da tecnologia para seus consumidores, ao mesmo tempo que contribui para uma beleza mais responsável e inclusiva. Neste sentido, o impacto social é uma das principais frentes de atuação da companhia, que busca promover a capacitação e profissionalização dentro e fora da companhia, a fim de combater os principais desafios da sociedade.

“Nós estamos comprometidos em criar soluções inovadoras que não apenas garantam a experiência de beleza, mas que contribuam para um futuro sustentável. De acordo com o IBGE, mais de 8.5 milhões de pessoas estão desempregadas. Ao mesmo tempo, o mercado de tecnologia está em constante desenvolvimento. Por isso, estamos comprometidos em contribuir para transformar este cenário. Acreditamos que a tecnologia é um caminho para potencializar a inclusão e tenho orgulho de dizer que este é apenas o início deste programa. Nossa missão é ir além e espalhar a beleza através da tecnologia”, ressalta Wiliam Potenti, Diretor de Tecnologia da Informação do Grupo L’Oréal no Brasil.

O curso será ministrado virtualmente para todo Brasil pelo Instituto Precisa Ser, através da iniciativa Vai na Web, e a previsão é formar 150 alunos nos próximos seis meses. O programa vai contemplar temas como: internet, inteligência artificial, segurança digital e linguagem de programação – HTML, CSS e JavaScript. As aulas também incluem o desenvolvimento de habilidades interpessoais, como gerenciamento de tempo, desenvolvimento pessoal, inteligência emocional, comunicação não violenta e produtividade.

“Investir no desenvolvimento do talento dos jovens das nossas favelas e em outros territórios de exclusão é a ponte que precisamos para reduzir as desigualdades e promover um crescimento econômico inclusivo, sustentado e emprego produtivo e de qualidade. É aproveitar a tecnologia para criar oportunidades para todos”, destaca Aline Fróes, CEO Vai na Web.

Em parceria com a Fundação Darcy Vargas, escola municipal localizada na região da Pequena África, local de grande importância histórica para a cultura afro-brasileira e onde a Sede da L’Oréal está situada, a companhia promoverá a formação de 50 anos alunos de forma híbrida. Além das aulas, a empresa reestruturou o laboratório digital da escola, doando 50 notebooks e 50 headfones para que os estudantes possam participar das aulas.

“Nós queremos impactar positivamente as comunidades ao nosso redor. Como empresa, líder mundial e atuante na região da Pequena África, nós temos o compromisso de viabilizar a mobilidade social a partir da educação e fomentar a inclusão produtiva. Queremos capacitar, formar e empregar as mais diversas pessoas, criando uma sociedade mais justa e inclusiva, internamente e externamente à companhia. Investir neste território é investir em cultura, história e desenvolvimento”, afirma Helen Pedroso, Diretora Geral de Responsabilidade Corporativa e Direitos Humanos do Grupo L’Oréal no Brasil.

A educação não é apenas um espaço de conhecimento, mas um espaço para pensamento e criação, onde podemos desenvolver tecnologia e mudança social. Ela tem o potencial de criar ambientes de inovação, pensamento crítico e liberdade pública. Os jovens enfrentam um futuro incerto, com o espaço público deteriorado e urgências climáticas alarmantes. Os mais vulneráveis são sempre os mais impactados por essas crises. Refletir sobre a função da educação é refletir sobre o mundo e como podemos preservá-lo. É essencial reconstruir a sociedade em torno da justiça e do bem comum, com a educação como pilar fundamental”, aponta Camila Crispim, conselheira da Fundação Darcy Vargas e fundadora da ONG Amor Mundi.

Leia Mais

Outras Notícias