sábado, julho 13, 2024

Gerando Falcões amplia o Decolagem e foca no uso da tecnologia para combater a pobreza das favelas no Brasil

Compartilhar

Neste ano, uma das metas da Gerando Falcões é ampliar o Decolagem, que integra o portfólio de tecnologias sociais da ONG, para cerca de 70 favelas do país que estão inseridas na Rede de ONGs da Gerando Falcões. Considerado o primeiro programa de redução da pobreza no Brasil, a iniciativa baseia-se no acompanhamento direto das necessidades de cada família atendida, com escuta ativa e individualizada para o estabelecimento e cumprimento de metas que trarão dignidade e melhor qualidade de vida, tudo isso com o auxílio da tecnologia e o desafio de superação da pobreza no país.

Um dos principais recursos do programa é o aplicativo que recebeu novas ferramentas digitais, em parceria com a ZUP Innovation, a fim de automatizar a coleta dados em tempo real e acelerar o processo de emancipação social nas comunidades. O programa atua diretamente em uma realidade ainda existente: um pouco mais de 67,8 milhões de pessoas ainda vivem em situação de pobreza ou extrema pobreza no Brasil, segundo dados do IBGE. 

“Com uma captação de dados automatizados, o diagnóstico das necessidades de cada família se tornará mais prático, rápido e escalável. Além disso, temos indicadores para acompanhar a evolução das ações e o impacto do programa, bem como tomar decisões mais estratégicas e assertivas”, destaca Nina Rentel, Diretora de Tecnologias Sociais da Gerando Falcões.

Entre as atualizações previstas no app, estão:

  • Questionários mais simples e objetivos;
  • Dados detalhados com os resultados do diagnóstico e necessidades de cada comunidade;
  • Atualização do IGF – Índice Gerando Falcões, que mensura o nível de pobreza no território e a evolução do processo de emancipação social

Tecnologia e lado humano caminham juntos

O aplicativo é o fator tecnológico que rege o programa Decolagem para diminuição da pobreza, mas diante dos dados armazenados ali, serão criadas trilhas individuais de evolução para cada família atendida.

Todos os participantes serão acompanhados semanalmente por mentores, assistentes sociais e psicólogos que irão fornecer suporte e orientações para a superação dos desafios diários e o alcance de um nível de autonomia seguro, evitando assim que as pessoas corram o risco de voltar à situação de vulnerabilidade social na qual se encontravam. 

A partir da análise do grau de pobreza de cada família atendida e suas maiores dificuldades, os agentes sociais, junto com os participantes, cocriam uma jornada de metas que devem evoluir gradativamente e englobam frentes como saúde, educação, autonomia da mulher, geração de renda, entre outras como mostra a mandala abaixo:

A mandala do Decolagem abrange até oito pétalas, cada uma englobando um aspecto específico que deve ser trabalhado mediante o diagnóstico individualizado de cada território. Neste primeiro momento de ampliação do programa, quatro pétalas serão priorizadas, sendo elas: geração de renda, direito à educação, primeira infância e autonomia da mulher.

“O Decolagem usa a tecnologia que está disponível e deve ser utilizada ao nosso favor, mas sem esquecer da importância da humanização no processo. O aplicativo, além de ser nossa base de dados, o local onde estará armazenado os registros de cada etapa, também irá favorecer a comunicação entre os assistentes sociais e apoiadores com os beneficiados, outra parte vital para que o Decolagem cumpra seu papel”, finaliza Nina. 

Leia Mais

Outras Notícias