sexta-feira, julho 12, 2024

Serpro apresenta Programa Agora de inclusão de minorias e grupos vulneráveis

Compartilhar

Reconhecendo o valor da diversidade que enriquece nossa sociedade e ambiente de trabalho, o Serpro, empresa de inteligência do governo federal, lançou em 2023 o Programa Agora, que investe em projetos voltados a minorias e grupos vulneráveis.

Regina Faria, gerente de Investimento e Responsabilidade Social do Serpro, apresentou os primeiros resultados dos projetos apoiados durante o evento Elid 2024, em Maceió, que discutiu letramento digital. “Realizamos dois editais de inclusão digital focados em grupos vulneráveis, como pessoas trans, travestis (Agora 3T) e em mulheres em situação de vulnerabilidade (Agora 2M). O apoio a esses projetos é apenas o início. A cidadania hoje não pode ser pensada sem inclusão digital, um direito fundamental que deve avançar com iniciativas como essa”, afirmou Regina, que ainda apresentou dez dicas de como escrever bons projetos para esses editais.

Rita Conceição, diretora fundadora da ONG Ruas da Bahia, está à frente do projeto Transversalizando, um dos contemplados pelo Agora 3T. “Nossa ONG nasceu para combater o empobrecimento das mulheres negras de Salvador. Com a feminilização da pobreza, também abraçamos a causa da comunidade trans e travesti”, explicou. “Em parceria com o Serpro, ofereceremos cursos de letramento digital e tecnologia sociodigital para que essa comunidade tenha acesso ao conhecimento tecnológico e ao mercado de trabalho com dignidade, respeito e cidadania. Parece simples, mas percebemos que há um processo de discriminação muito forte e essas pessoas são excluídas até quando tem a oportunidade de se transformar num excelente profissional de tecnologia”, ponderou Rita.

Carlos Henrique Machado Pinto, gerente da divisão de Destreza Digital do Serpro, participou do painel “Apresentação das experiências brasileiras em letramento e em inclusão digital, por meio da fala de agentes públicos e técnicos” no segundo dia do Elid. Carlão, como é conhecido por colegas, falou das iniciativas de inclusão atuais, nas quais os SÍTIOS, pontos de inclusão localizados nas regionais do Serpro, desenvolverão atividades voltadas à comunidade.

Também explicou que a distribuição de computadores do Serpro em desuso ficará a cargo da ONG Programando o Futuro. “Todos os computadores do Serpro serão distribuídos a localidades que tenham condições de desenvolver a iniciativa social de oferecer acesso ao mundo digital por meio de computadores”. De acordo com Carlos Henrique, o acordo com a ONG permitirá que as máquinas cheguem a locais com grande necessidade, devido à articulação dessa organização, uma das principais parceiras do Ministério das Comunicações, com diversos outros CRCs (Centro de Recuperação de Computadores).

Letramento e inclusão digital

O ELID é o 1º Encontro Técnico-Científico de Letramento Digital & Inclusão Digital, que tem como objetivo promover o conhecimento e os olhares das diversas regiões do Brasil sobre as questões digitais. A Etapa Maceió/AL foi realizada de 27 a 29 de junho.

Na ocasião, o Serpro lançou a escola virtual Serpro Cidadão Digital, iniciativa que oferece 29 cursos abertos e gratuitos voltados para a capacitação digital, abrangendo desde ferramentas básicas até o uso seguro da tecnologia. “Com esse lançamento, o Serpro reafirma sua disposição em participar ativamente da transformação digital do estado brasileiro e a destreza tecnológica do cidadão. Ela foi pensada como um instrumento para auxiliar na criação de uma cultura digital na sociedade, contribuindo para o aproveitamento de todo o potencial dos serviços públicos no efetivo exercício da cidadania”, declarou Marco Sobrosa, diretor de Pessoas do Serpro, durante a mesa de abertura do encontro.

Leia Mais

Outras Notícias