sábado, julho 13, 2024

Para além da Inteligência Artificial: futuro dos data centers é verde

Compartilhar

À medida que o mercado de data centers na América Latina se encaminha para ultrapassar a marca de US$ 7,8 bilhões até 2026, a questão da gestão energética torna-se cada vez mais premente. No ano de 2022, esses hubs tecnológicos foram responsáveis por aproximadamente 1,3% do consumo global de energia elétrica. Este dado não apenas reflete a magnitude de sua operação, mas também indica a necessidade urgente de ações sustentáveis.

A eficiência energética é uma prioridade em meio às crescentes preocupações climáticas. Recentemente, ao ler uma pesquisa, um dado me chamou atenção: apenas 39% das organizações incluem o uso de água em suas infraestruturas nos relatórios de sustentabilidade.

Tal omissão é preocupante, especialmente porque algumas empresas aumentam o consumo de água para melhorar seus níveis de eficiência energética, como o PUE (Power Usage Effectiveness), indicador calculado por meio da relação entre a energia total consumida pelo data center e a energia consumida pelos equipamentos de TI. Um PUE menor indica uma operação mais eficiente em termos de energia.

No entanto, é vital que essa busca pela eficiência energética não negligencie o Water Usage Effectiveness. O WUE mede a eficiência no uso da água em um data center, considerando a quantidade de água consumida em relação à energia consumida. Um WUE menor indica um uso mais eficiente da água, fundamental para a sustentabilidade, especialmente em regiões onde a água é um recurso escasso.

Na Ascenty, priorizamos soluções que promovam a sustentabilidade operacional. Implementamos chillers com sistemas de condensação a ar, onde não requer a utilização de torres de resfriamento, portanto, um circuito fechado, estratégia que não só reduz a evaporação da água, mas também permite sua reutilização contínua. Essa prática reflete nosso compromisso com a conservação dos recursos hídricos e a minimização de nosso impacto ambiental.

O Suporte da Inteligência Artificial

O avanço de tecnologias como a Inteligência Artificial representa um marco significativo para os data centers. Ao analisar padrões de consumo elétrico e equilibrar temperaturas de forma precisa, a IA minimiza os impactos de oscilações bruscas de calor, cada vez mais frequentes, otimizando o desempenho dos equipamentos e, consequentemente, reduzindo o consumo de energia.

Em nossa operação, implementamos sistemas de controle e monitoramento não apenas para energia elétrica e água, mas também para combustíveis, gestão de resíduos, efluentes, sistemas de incêndio e manutenção de ar-condicionado. Essa abordagem holística é fundamental para uma operação mais sustentável e responsável

O Caminho para a Sustentabilidade

Olhando para frente, além dos avanços em IA e 5G, a tendência é direcionar recursos para neutralizar emissões de gases estufa e economizar água nos data centers. Estudos mostram que CEOs que implementam estratégias sustentáveis alcançam margens de lucro até 8% mais altas. Está claro que a urgência das mudanças climáticas nos impele a adotar estratégias claras para neutralizar os impactos dos data centers. A transformação verde não é apenas uma opção, é essencial, e as empresas devem estar preparadas para essa jornada.

A sustentabilidade nos data centers transcende a ética, sendo a chave para um futuro próspero e responsável. É o momento de abraçarmos essa transformação, não apenas como uma obrigação, mas como um compromisso com a inovação e a preservação do nosso planeta. Estamos diante de uma oportunidade única para moldar um futuro em que a tecnologia convive harmoniosamente com a preservação ambiental. E as companhias precisam estar preparadas para isso!

Marcos Alves, Gerente Executivo de Operações de Data Centers da Ascenty.

Leia Mais

Outras Notícias