sábado, julho 13, 2024

Grupo CCR anuncia compromisso de se tornar neutro em carbono nos escopos 1 e 2 até 2035

Compartilhar

O Grupo CCR assumiu o compromisso de se tornar neutro em carbono nos escopos 1 e 2 até 2035, reduzindo as suas emissões diretas e compensando toda a emissão residual. Trata-se da primeira companhia do seu setor a se comprometer com esta meta, mais um passo em sua ambição de liderar a agenda de sustentabilidade do segmento.

Em 2023, o Grupo CCR já havia sido a primeira empresa do segmento a ter a suas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa aprovadas pela Science Based Targets initiative (SBTi). A Companhia se comprometeu a diminuir as suas emissões de escopos 1 (diretas) e 2 (energia elétrica) em 59% e de escopo 3 (cadeia de valor) em 27%, tomando como valores de referência os indicadores de 2019.

O novo anúncio representa uma evolução da estratégia de sustentabilidade do Grupo e intensifica as ações em andamento para reduzir a pegada de carbono das suas operações. Além das iniciativas para ampliar o uso de fontes renováveis de energia para abastecer os ativos e veículos leves e aumentar o reaproveitamento de material fresado asfáltico na pavimentação de suas rodovias, o Grupo CCR avalia a eletrificação da frota e a melhoria da eficiência de veículos pesados e sistemas de refrigeração, além de projetos de Nature Based Solutions (NBS) e a compra de crédito de carbono para compensar as emissões residuais.

“A neutralidade carbônica é mais um passo em nossa jornada de descarbonização, uma agenda prioritária para o setor de infraestrutura e para o nosso planeta, sobretudo neste novo cenário de eventos climáticos extremos cada vez mais frequentes”, afirma o vice-presidente de Sustentabilidade, Riscos e Compliance do Grupo CCR, Pedro Sutter.

Além de beneficiar o meio ambiente, a estratégia de neutralidade carbônica do Grupo CCR será NPV (valor presente líquido, em português) positivo, isto é, financiada pelas próprias eficiências geradas pela incorporação de processos mais sustentáveis e circulares. Um dos exemplos disso é a economia estimada em torno de 20% na conta de luz com a migração dos ativos da Companhia para o mercado livre, com a compra de energia elétrica proveniente de fontes renováveis.

Outro exemplo nesta frente é a redução da necessidade de aquisição de CBUQ, um dos tipos de revestimento asfáltico mais utilizados nas rodovias brasileiras, por conta do maior reaproveitamento dos resíduos asfálticos. Para se tornar neutra em carbono até 2035, a estimativa é que a Companhia invista de 0,2% a 0,3% do seu Ebitda anualmente, considerando nesta conta um preço de crédito de carbono variando entre US$ 10 e US$ 70.

Ambição 2035

O compromisso de neutralidade carbônica faz parte da Ambição 2035 do Grupo CCR, plano estratégico anunciado no CCR Day 2024 que reúne uma série de metas operacionais, financeiras e sustentabilidade com o objetivo de consolidar a liderança da Companhia no setor de mobilidade com foco na criação de valor sustentável.

Nesta visão de longo prazo, a atuação em ESG da Companhia está organizada em cinco pilares. O primeiro deles é a redução da pegada ambiental e do risco climático, com a ambição de atingir a neutralidade carbônica até 2035, ter 100% dos ativos abastecidos com energia elétrica renovável – meta a ser alcançada ao final deste ano –, e ter planos de resiliência climática para todos os ativos até o fim de 2025.

O segundo pilar é a gestão sustentável da cadeia de valor, com 100% dos fornecedores aderentes às normas de sustentabilidade e às regras de compliance do Grupo CCR. O terceiro é o impacto positivo na sociedade, com o compromisso de investir R$ 750 milhões em projetos de impacto social até 2035. O quarto é a valorização das pessoas, mantendo um nível de engajamento acima de 90% e ampliando a representatividade de mulheres e pessoas negras na liderança e na organização. O quinto é a cultura de integridade e segurança, baseada na garantia dos padrões internacionais de governança e na cultura de acidente zero.

Histórico de ações em ESG

O Grupo CCR está comprometido com a pauta ESG desde a sua fundação, em 1999. Há 13 anos consecutivos, a Companhia está presente no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da B3, principal índice de ESG do mercado de capitais brasileiro. A companhia também figura há 13 anos no Índice Carbono Eficiente (ICO2), da B3, que lista as empresas com as melhores práticas no reporte de suas emissões dos gases de efeito estufa (GEE) e que estão desenvolvendo planos para promover uma economia de baixo carbono em suas operações.

Em outra frente, a Companhia lançou, no final do ano passado, a Taskforce CCR COP-30, a fim de se preparar para a realização da 30ª edição da Conferência das Partes (COP) sobre Mudanças Climáticas, a ser realizada em Belém (PA), em 2025. A iniciativa visa acelerar as ações voltadas à mitigação dos efeitos do aquecimento global, à preservação da biodiversidade, à transição para uma economia de baixo carbono e ao engajamento de parceiros do Grupo CCR nesta agenda.

Os avanços da Companhia em ESG têm sido reconhecidos pelos seus públicos de interesse. Em 2023, a CCR teve o seu rating no MSCI ESG elevado para AA, índice de referência mundial em sustentabilidade empresarial. O resultado no CDP Climate Change também evoluiu em relação aos ciclos anteriores, atingindo nota A-.

Em abril de 2024, o Grupo publicou o Relatório Integrado 2023, registrando avanços consistentes na sua agenda ESG. No mesmo mês, a CCR aderiu ao Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), reforçando seu comprometimento com a agenda de desenvolvimento sustentável no Brasil.

Na frente de Diversidade & Inclusão, o Grupo CCR ampliou de 25% para 45% a participação de mulheres em cargos de diretoria entre 2023 e 2024. Recentemente, aderiu também ao Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça, do Governo Federal, reforçando seu compromisso de promover um ambiente de trabalho cada vez mais inclusivo e justo.

Leia Mais

Outras Notícias