quinta-feira, junho 20, 2024

Philip Morris International lidera lista da Forbes de empresas que mais avançam para uma economia de baixo carbono

Compartilhar

A Philip Morris Internacional (PMI) ficou em primeiro lugar no ranking Net Zero Leaders de 2024 da Forbes, que destaca as 100 empresas dos Estados Unidos mais bem posicionadas para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa (GEE). A operação brasileira tem contribuído ativamente na jornada da companhia para a conquista Net Zero, ou zero líquido, que é o equilíbrio entre as emissões e as compensações de CO2 (carbono) e outros gases de efeito estufa.

A planta da Philip Morris Brasil (PMB), em Santa Cruz do Sul (RS), é certificada como Carbono Neutro desde 2022 e atingiu a meta três anos antes do prazo definido pela PMI globalmente. Atualmente, 20% da energia utilizada na fábrica vem de caldeiras de biomassa, que utilizam materiais renováveis para produzir energia.

A PMB está ciente de que parte significativa de suas emissões são decorrentes do processo de cura do tabaco. Para endereçar este ponto, a empresa investe no uso de novas tecnologias, como ar forçado e energia solar, reduzindo em até 50% o consumo de lenha; o projeto de cura de tabaco com energia renovável está sendo ampliado em parceria com o SENAI-RS.

A Forbes utilizou dados das empresas Sustainalytics e Morningstar para classificar o compromisso das empresas com um futuro Net Zero. Também considerou a estrutura de gestão de cada companhia para auxiliar na avaliação de riscos, governança, estratégia, métricas para atingir as metas de descarbonização para os escopos 1+2+3, bem como a solidez financeira para resistir à concorrência da indústria e à turbulência econômica.

O avanço da PMI está alinhado com a estratégia da empresa de passar de fabricante de cigarros para a posição de líder em produtos sem fumaça. “A PMI está se transformando completamente. Nosso progresso é medido, relatado e real. Temos plena consciência de que só poderemos atingir o nosso propósito incorporando a sustentabilidade em todos os aspectos do nosso negócio”, afirma Branko Sevarlic, Diretor executivo da PMB

Ações ambientais

A PMB tem programas focados na redução do impacto ambiental, com proteção de mata nativa e nascentes, além de projetos para apoiar produtores rurais inseridos na agricultura familiar, principalmente na Região Sul, onde está concentrada a cultura do tabaco e a operação fabril da empresa.

Um deles é o programa Protetor das Águas, reconhecido pela Agência Nacional das Águas (ANA). A ação visa proteger as nascentes de rios em propriedades rurais em Vera Cruz (RS) e contribuir para a melhoria da qualidade da água em diversos pontos de monitoramento. Os produtores desempenham um papel fundamental na proteção das áreas rurais e nascentes. A empresa tem como meta global garantir que todos os seus produtores de tabaco tenham água de fonte segura até 2025.

Outro destaque do relatório é a restauração de sete subtrechos do rio Pardinho, em Santa Cruz do Sul, que abastece o Lago Dourado, principal fonte de água para o município. O trabalho integra o plano da Bacia Hidrográfica do Rio Pardo e é realizado em parceria com organizações focadas em proteção ambiental.

Para a preservação da mata nativa, a empresa implementa ações como o projeto Cédula de Produto Rural (CPR) Verde, uma iniciativa pioneira que a PMB está liderando no Rio Grande do Sul. Trata-se de um título de crédito que visa incentivar a sustentabilidade em propriedades rurais: os produtores rurais recebem um pagamento adicional da empresa por preservar a mata nativa na propriedade, seguindo os princípios do Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). Em 2024, está planejada a expansão do projeto para os estados de Santa Catarina e Paraná.

Outro destaque é o Programa Responsible Leaf, que faz um diagnóstico socioambiental das unidades produtoras de tabaco. Técnicos da PMB visitam as propriedades rurais e avaliam a infraestrutura produtiva, verificando também a conformidade com as legislações ambiental, trabalhista e de direitos humanos. A PMB também trabalha em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Clima Temperado na elaboração do Índice de Sustentabilidade Auéra, uma ferramenta inovadora para mapeamento e gestão da sustentabilidade em pequenas propriedades rurais.

Leia Mais

Outras Notícias