quinta-feira, junho 20, 2024

OLX: relatório aponta que compra e venda de itens usados evitou potencialmente a emissão de 625 mil toneladas de CO2e

Compartilhar

A OLX, maior marketplace de classificados de produtos usados, autos e imóveis do Brasil, lança nesta semana do Dia Mundial do Meio Ambiente, o relatório Second Hand Effect (SHE). O estudo aponta que a comercialização de produtos de segunda mão evitou potencialmente 625.357 toneladas de emissões de CO2e. Ao estender a vida útil dos produtos, nossos usuários contribuíram para a economia circular ao reduzir as emissões de gases efeito estufa ligadas à fabricação, o transporte e à embalagem dos produtos novos.

Esse montante é equivalente às emissões de CO2 de 5,6 milhões de viagens de ida e volta entre São Paulo e Rio de Janeiro, ou à produção de 49 milhões de calças de jeans, ou 962 milhões de garrafas plásticas[1].

O relatório foi realizado pela Vaayu, o primeiro software automatizado do mundo que capacita marcas e empresas do ecossistema de varejo a rastrear e reduzir seu impacto ambiental e de carbono, com apoio da Adevinta, uma das empresas controladoras do Grupo OLX no Brasil, tendo como ano de referência 2023.

Os cálculos foram orientados pelo padrão do GHG Protocol e pelos parâmetros de referência do WRI (World Resources Institute)[2]. Os dados foram fornecidos pelo Grupo OLX, incluindo o número de produtos vendidos e a distância em que os itens foram transportados. Os números foram calculados usando o mecanismo de modelagem de LCA Kria da Vaayu. A quantidade de gases de efeito estufa evitada é o resultado das emissões economizadas pelos produtos de segunda mão multiplicadas pela taxa de substituição (métrica orientada pelo comportamento do cliente, indicando a probabilidade de uma compra de segunda mão substituir uma compra nova). Depois disso, o CO2e emitido pelas operações, embalagens e entregas realizadas foi subtraído do total.

Entre os destaques, a realização de pesquisas direcionadas aos nossos usuários para entender o comportamento em compras de segunda mão.

“Somos o maior marketplace de produtos usados do Brasil e o SHE ressalta a nossa contribuição para a economia circular.  Por meio da OLX, damos às compras anteriores um novo propósito e estendemos o ciclo de vida dos produtos usados. Como sempre falamos, não é porque um produto é usado para uma pessoa que não pode ser novo para outra. E ainda gerar uma renda extra. Ou seja, bom para quem compra e bom para quem vende. Isso, sim,  é um verdadeiro exemplo de economia circular. E nossos usuários, quando escolhem um item de segunda mão, apoiam  este ciclo” conta Florence Scappini, vice-presidente de Marketing do Grupo OLX. 

“Aqui no Grupo OLX, seguiremos estimulando o consumo consciente, ressignificando  a maneira como as pessoas consomem e se relacionam com seus produtos, com foco em um futuro melhor para o planeta”, reforça.

Os resultados também levam em consideração as emissões geradas pela operação do Grupo OLX, incluindo escritórios, viagens a trabalho dos colaboradores, materiais utilizados no dia a dia, entre outros.

De acordo com a análise, foram potencialmente evitadas, por exemplo, emissões de 232 mil toneladas de CO2 com a comercialização de computadores e acessórios seminovos e usados, 147 mil toneladas de CO2 com as vendas de móveis e 66 mil toneladas de CO2 com transações de itens de áudio, por meio da OLX.

Economia potencial combinada pelos usuários da OLX:

  • 625.357 toneladas de CO2e evitadas, o que equivale a:
    • 5.593.531 milhões de viagens de ida e volta de São Paulo para o Rio de Janeiro
    • 962.087.392 milhões de garrafas plásticas de 1,5l
    • 49.631.492 milhões de novos pares de jeans produzidos

Mais sobre a metodologia

O estudo tem como foco categorias de produtos específicas, como Moda, Bolsas e Bagagens, Casa e Jardim, Cuidados Pessoais e Bem-Estar, Família, Criança e Bebê, Lazer, Esportes e Hobbies, Eletrônicos e vários outros produtos de consumo (3). As categorias de produtos no escopo da avaliação do mercado OLX representam uma grande parte do total de itens usados vendidos com sucesso na plataforma. A análise para a OLX foi baseada em dados de aproximadamente 15 milhões de itens vendidos, enriquecidos por percepções coletadas de mais de 10.389 usuários da OLX sobre seus comportamentos de compra e venda. Essas informações, juntamente com as pegadas detalhadas de cerca de 15 milhões de itens vendidos, foram processadas por meio da API da Vaayu e do mecanismo de modelagem de ACV exclusivo para calcular os benefícios climáticos da compra on-line de produtos de segunda mão nas categorias selecionadas.

Pesquisa com consumidores

Para aprofundar a compreensão do comportamento do usuário no OLX, foram implementadas duas pesquisas distintas direcionadas a compradores e vendedores. O objetivo principal dessas pesquisas foi reunir dados essenciais para estimar a taxa de substituição e, consequentemente, o potencial de emissões de carbono evitadas com a venda de itens de segunda mão. Além disso, essas pesquisas coletaram detalhes sobre a logística de entrega, incluindo os tipos de embalagem e materiais de embalagem. As pesquisas alcançaram  8524 participantes, garantindo uma amostra representativa ao considerar fatores como especificidades do mercado, categoria de produto e níveis de atividade do usuário na OLX nos últimos 6 a 12 meses. Não foram oferecidos incentivos/incentivos aos entrevistados, e as pesquisas alcançaram uma taxa de resposta de 8,5%.

Emissões evitadas

A quantidade de emissões potencialmente evitadas é o resultado do seguinte cálculo: o carbono emitido da fabricação de um novo produto até chegar ao consumidor (um cenário alternativo imaginado, ou seja, a situação em que o consumidor compraria um novo item) multiplicado pela taxa de substituição de um item de segunda mão por um novo, menos as emissões geradas pela entrega, embalagem e operações associadas dos itens de segunda mão comprados.

Pegada de carbono do produto

Para estimar as emissões de carbono evitadas pela compra de itens de segunda mão na OLX em vez de itens similares novos, é necessário contabilizar as emissões desde a produção até a entrega do novo produto. A análise, conforme ilustrada na figura a seguir, avaliou os impactos dos produtos do berço ao consumidor. A avaliação incluiu considerações sobre o uso de energia e materiais, transporte, extração de recursos naturais e gerenciamento de resíduos em cada estágio do ciclo de vida do produto (4)

Confira a metodologia completa no link


[1] Fonte: Calculado usando o Kria, o mecanismo de modelagem de impacto de ACV e o banco de dados de propriedade da Vaayu

[2]Fonte: https://www.wri.org/research/comparing-life-cycle-greenhouse-gas-emissions-dairy-and-pork-systems-across-countries

3- Imóveis e veículos motorizados não são considerados devido aos desafios atuais no desenvolvimento de uma metodologia confiável de Avaliação do Ciclo de Vida (LCA) para medir com precisão a economia de emissões e, especificamente, a avaliação dos impactos totais do ciclo de vida dos veículos. Da mesma forma, Serviços ou Ingressos e Artes e Antiguidades foram omitidos do escopo, pois se considera que não contribuem para evitar emissões – sendo que Artes e Antiguidades são considerados itens exclusivos que não substituem novas compras.

4 – As emissões associadas ao uso do produto e aos estágios de fim de vida (EOL) foram omitidas dessa análise. O motivo dessa exclusão é que, nos cálculos de emissões evitadas e, especificamente, em uma análise comparativa entre os dois cenários (compra de um produto de segunda mão versus um produto novo semelhante), os impactos do uso de produtos novos e de segunda mão são considerados equivalentes e, portanto, se neutralizam.

Leia Mais

Outras Notícias