sábado, maio 25, 2024

Bluebell Index emite R$200 milhões em tokens de ativos ambientais para projetos de investimento na natureza

Compartilhar

A Bluebell Index, fintech do clima especializada em tokenização e certificação de ativos ambientais, acaba de anunciar a emissão de 1,6 milhão de tokens em créditos de ativos ambientais, com um potencial faturamento de 40 milhões de dólares pela emissão. A iniciativa permite que empresas nacionais e internacionais invistam em projetos de impacto ambiental e impulsiona a transição para uma economia mais verde.

Cada token Bluebell representa uma unidade equivalente à uma tonelada de gás carbônico, mais dados de água, solo e biodiversidade. os créditos desta nova emissão foram gerados em 10 propriedades espalhadas pelo país, somando 60 mil hectares em  áreas estão tanto na Amazônia quanto no Cerrado.

A empresa planeja atingir um faturamento de US$ 75 milhões até o final deste ano, emitindo um total de 3 milhões de tokens a um valor unitário de US$ 25 ao longo de 2024.

A tokenização dos créditos tem o potencial de remunerar produtores rurais em até 8% para evitar o desmatamento e criar um incentivo financeiro para os proprietários de terra, enquanto empresas investem na natureza para reduzir as mudanças climáticas.

Phelipe Spielmann, CEO e fundador da Bluebell Index, destaca a importância do blockchain para garantir a rastreabilidade do crédito de carbono e evitar fraudes. “Entendemos a importância de ter rastreabilidade em todas as fases. O mercado de carbono já foi prejudicado por muitas fraudes. Ao registrar os créditos de ativos ambientais no blockchain, adicionamos uma camada adicional de segurança, pois podemos rastrear a origem de cada crédito e garantir que não tenha sido vendido mais de uma vez”, diz o executivo.

Os tokens são registrados na rede blockchain Polygon, garantindo rastreabilidade e segurança para as transações. A tecnologia impede fraudes e permite o acompanhamento completo do ciclo de vida dos créditos, desde a geração até a utilização pelos compradores.  A empresa utiliza a Polygon para transferências, enquanto a carteira de criptoativos para custódia é a MetaMask.

Para garantir a confiabilidade dos créditos, a Bluebell conta com auditorias realizadas pelas empresas Bureau Veritas e KPMG. Essas auditorias verificam a metodologia utilizada na quantificação dos benefícios ambientais gerados pelos projetos e garantem a qualidade dos créditos tokenizados.

Atualmente, a empresa já tem parcerias firmadas para distribuição de tokens como o governo de Dubai e a Ecom Trading, uma das maiores operadoras de café do mundo e para este ano projeta chegar em todas as regiões do Brasil para mitigar as consequências das mudanças climáticas e liderar a transição para uma economia de baixo carbono, por meio da integridade de dados, rastreabilidade e transparência de todos os processos.

Leia Mais

Outras Notícias