quarta-feira, maio 22, 2024

Programa de Estágio da Prodesp abre as portas para estudante de 48 anos, mãe de dois filhos

Compartilhar

O setor de tecnologia durante muito tempo foi conhecido por ter uma força de trabalho majoritariamente masculina. Mas o cenário tem mudado nos últimos anos. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), entre 2015 e 2022, houve um aumento de 60% de mulheres atuando na área.

Na Prodesp – empresa de Tecnologia do Governo de São Paulo – mais de 40% da força de trabalho é feminina. O retrato atual da Companhia mostra avanços e que as oportunidades para elas fazem parte da premissa igualitária, onde prevalecem competência e meritocracia.

A maior participação das mulheres traz inúmeros benefícios e faz com que as empresas tenham um olhar mais atento às necessidades de seus colaboradores.

Responsável pela transformação digital do Estado, desenvolvendo os projetos idealizados pela Secretaria de Gestão e Governo Digital (SGGD), a Prodesp, ao longo de sua história, em mais de cinco décadas sempre teve em seu DNA a busca por novos talentos.

Com 48 anos, Cristiane Mayumi Onishi, mãe de um casal de jovens, Erica, de 24, e Fabio, de 19 anos, é um bom exemplo de que a idade não deve ser impedimento para a busca de sonhos e realização profissional. Após um período de 23 anos de atuação na área da saúde, num dos hospitais mais renomados da cidade de São Paulo, Cristine resolveu que era hora de mudar de rota.

Com os filhos já crescidos e uma paixão pelo mundo da programação de dados no Excel, decidiu investir em seu novo objetivo e se matriculou no curso de Banco de Dados. Com o incentivo da mãe e o fato de ter bom raciocínio lógico e facilidades com números acabaram levando Fábio a se matricular em Engenharia da Computação. Apesar de ter cogitado inicialmente o curso de gastronomia, hoje mãe e filho estudam na mesma faculdade.

“Para mim é um privilégio ter essa proximidade com o meu filho e os mais jovens. Essa troca de experiência é muito enriquecedora. E como mãe, me sinto realizada por ter incentivado esse direcionamento na vida profissional dele e oferecer subsídios para que ele busque sua independência e felicidade. Ser mãe é isso pra mim, dar e receber amor”, explica.

Atuando na Gerência de Convergência Digital e Analytics, vinculada à Diretoria de Desenvolvimento de Sistemas da Prodesp há pouco mais de um mês, Cristiane afirma que apesar das dificuldades, contou com o suporte dos filhos para esse processo de transição de carreira.

Assim como Cristiane, a Prodesp conta com muitos outros exemplos de mães que se reinventam e seguem trabalhando diariamente para garantir o futuro que querem para si, na área que desejam atuar, e hoje contribuem para transformar São Paulo num estado cada vez mais digital.

Leia Mais

Outras Notícias