sábado, maio 25, 2024

TIM divulga seu 20º Relatório ESG e projeta metas até 2026

Compartilhar

Reconhecida pelo seu protagonismo em iniciativas sociais, ambientais e de governança corporativa no setor de telecomunicação, a TIM divulga seu Relatório ESG 2023 – o 20º publicado pela empresa – e apresenta os compromissos assumidos para o triênio 2024‑26.

Dentre os destaques do ano passado, estão avanços e resultados significativos em inclusão digital, gestão climática, geração distribuída de energia, responsabilidade social corporativa e diversidade e inclusão, que trouxeram inúmeros reconhecimentos. Reforçando essa atuação, a empresa traz novas metas, como aumentar a representatividade de pessoas negras na liderança e potencializar ainda mais a cobertura no campo.

“Os resultados dos últimos anos pavimentam a jornada para novos objetivos, em um ciclo virtuoso que traz benefícios para toda a sociedade. É o que mostramos nesse Relatório ESG, que marca 20 anos de transparência e excelência da TIM em reportes sociais, ambientais e de governança. Evoluímos junto com o conceito de sustentabilidade, liderando os movimentos do setor de telecomunicações e – mais do que isso – entendendo que ESG precisa ser transversal a todas as áreas do negócio, direcionando produtos e serviços, inserindo-se em nossa cultura interna e permeando toda a nossa cadeia produtiva”, comenta Mario Girasole, VP de Assuntos Regulatórios e Institucionais da TIM.

Novas metas

O novo Plano ESG 2024-2026 atualiza alguns compromissos, como ser uma empresa “net zero” até 2040. Isso significa zerar as emissões diretas e indiretas de gases do efeito estufa, incluindo toda a cadeia de valor. Para alcançar esse objetivo, uma das apostas é manter 100% de consumo de energia elétrica renovável, fruto, principalmente, da geração de energia advinda das mais de 100 usinas próprias que integram o projeto de Geração Distribuída, além da aquisição de energia no mercado livre e de certificados de energia que atestam a fonte limpa (I-RECs).

No âmbito social, aparece uma das novidades, com foco no pilar racial: a TIM pretende ter representatividade de 25% de pessoas pretas ou pardas em cargos de liderança até 2025. A equidade de gênero também é destaque, com a meta de ter mais de 36% de mulheres em postos de gestão até 2025. Outro novo objetivo é ter, até 2026, 20 milhões de hectares conectados em áreas rurais do Brasil, levando a digitalização não somente para o agronegócio, como também para escolas, postos de saúde e para moradores em geral dessas regiões. A operadora se compromete ainda a manter selos e certificações de transparência, anticorrupção, proteção de dados e cibersegurança, além de permanecer em importantes índices e ranking ESG do mercado financeiro.

Destaques de 2023

No ano passado, a TIM alcançou a meta de cobrir todos os municípios do Brasil com sua rede 4G, gerando impactos positivos para além do negócio ao contribuir com a inclusão digital da população. A empresa também ampliou a conectividade e estradas e no campo – chegando a 16 milhões de hectares com 4G e mais de 1,3 milhão de pessoas beneficiadas.

Outro marco foi a primeira década de atuação do Instituto TIM, que já beneficiou 700 mil pessoas em todo o Brasil. A operadora reforçou ainda suas parcerias com Gerando Falcões e Mulheres Positivas e avançou na jornada de diversidade e inclusão, antecipando o alcance das metas de ter 35% de mulheres na liderança e 40% de pessoas negras em seu quadro profissional.

No pilar ambiental, a empresa superou a meta de ter 100 usinas de energia renovável, chegando a uma produção que representa mais da metade do consumo total. A produção das usinas é complementada com aquisição no mercado livre e compra de certificados de energia renovável (I-RECs) para manter – desde 2021 – o patamar de 100% de energia limpa no consumo total da operadora. Além disso, houve um aumento de 160% de eficiência energética no tráfego de dados e uma redução de 80% das emissões de gases do efeito estufa (escopos 1 e 2), projetos e resultados que levaram a TIM à nota máxima do Carbon Disclosure Project (CDP), organização que controla a gestão climática de companhias em todo mundo.

Reconhecimentos

Em 2023, a TIM foi confirmada pelo 16º ano consecutivo – recorde dentre as empresas de telecomunicações – no Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 (ISE). Também figura, pelo terceiro ano seguido, no Sustainability Yearbook (S&P Global), que seleciona as empresas mais sustentáveis do mundo. Foi indicada ainda como uma das líderes globais do setor de telecomunicação em ESG pela Moningstar Sustainalytics, recebendo o Selo “ESG Industry Top-Rated”.

Dentre os índices que avaliam a diversidade e a inclusão no ambiente corporativo, a TIM se destaca como líder global no setor de telecomunicações no Refinitiv Diversity & Inclusion Index. Também está listada no IDIVERSA B3, índice que considera critérios de gênero e raça, e do Gender Equality Index (GEI) da Bloomberg, que avalia a igualdade de gênero no local de trabalho.

Leia Mais

Outras Notícias