sábado, maio 25, 2024

ONG de tecnologia conecta RH de empresas a pessoas em situação de vulnerabilidade social

Compartilhar

A edtech social Campinho Digital, rede de centros de aprendizagem em negócios digitais orientada para a integração social, apresenta suas três vertentes – Digital, Empregos e Tech – que têm como objetivo formar pessoas em situação de vulnerabilidade, sem custos, e inseri-las no mercado de trabalho no setor da tecnologia.

Segundo a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais, o mercado de tecnologia no Brasil deve gerar 797 mil vagas de emprego até 2025. Porém, a quantidade de oportunidades está além da disponibilidade de profissionais.

“Notamos que falta mão de obra qualificada para a alta demanda que o setor da tecnologia vem disponibilizando no decorrer dos últimos anos. Com isso, a Campinho Digital busca preencher essa lacuna, formando profissionais capacitados, além de atuar diretamente no âmbito social”, destaca Guilherme Estevão, Diretor de Alianças e Desenvolvimento Institucional da Campinho Digital.

Desde 2020, o projeto atua com foco nos ODSs – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU): 4, 5, 8, 10 e 17 (Educação de Qualidade, Igualdade de Gênero, Trabalho Decente e Crescimento Econômico, Redução das Desigualdades, Parcerias e Meios de Implementação, respectivamente). Essas iniciativas exigem um esforço definido para atingir metas e indicadores. Com isso, quando uma empresa se torna parceira da Campinho Digital, ela faz parte dos impactos positivos das ODSs, além de estar desenvolvendo e contribuindo para o ESG em sua cadeia de valor.

Os três pilares da Campinho Digital:

Campinho Digital

A Campinho Digital é a iniciativa de onde deriva todo o negócio da Edtech, ou seja, constitui em um centro de cursos virtuais com foco no setor da tecnologia, visando formar pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

A primeira vertente entende que a formação é o motor da inserção e do progresso laboral para transformar realidades. Sendo assim, o projeto contribui para a democratização do acesso às oportunidades apresentadas pela economia digital, desenvolvendo novos cursos.

Até o momento, mais de 8.600 pessoas já participaram dos cursos digitais da Edtech na América Latina. Vale ressaltar que 50% das pessoas que se formaram são mulheres, o que reafirma o compromisso do projeto com a diversidade, igualdade e equidade.

Campinho Empregos

Neste pilar, o projeto foca seus esforços na empregabilidade, conectando os alunos formados com empresas parceiras. Além de contribuir com o ESG das companhias, a Campinho Empregos fortalece seu compromisso em ajudar pessoas em vulnerabilidade social a mudar suas realidades, ingressando no setor da tecnologia.

Um exemplo disto é a parceria entre a Campinho Digital e a Amazon Web Services, por meio do Programa re/Start, de formação em computação na nuvem, no Brasil. Desde 2020, início da colaboração, 72% de todos os alunos formados conquistaram emprego na área.

Campinho Tech

O diferencial do Campinho Tech está na conexão direta entre as empresas e sua comunidade de profissionais emergentes. Sendo assim, as companhias parceiras, em busca de soluções tecnológicas de alta qualidade, encontram dois cenários: fornecedores dessas tecnologias e uma via para investir no desenvolvimento de talentos promissores.

Os alunos formados pelos cursos promovidos pela Campinho Digital, ingressam no próprio projeto e desenvolvem novas soluções para as empresas colaboradoras. Além disso, todos os recursos gerados pelo Campinho Tech são transformados em mais bolsas de estudos para pessoas em vulnerabilidade.

Programa de mentoria da Campinho Digital

Além desses pilares, a edtech social oferece um programa de mentoria para todos os alunos inscritos em um dos cursos, tendo como objetivo contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional da comunidade educacional. Essa proposta também ajuda a identificar problemas, estabelecer conexões e gerar experiências de networking ativo, além de contribuir diretamente com a diminuição da taxa de evasão nas formações oferecidas.

Nesse programa, o aluno mentorado tem suporte diário via WhatsApp, encontros quinzenais de 45 minutos com seu mentor em ciclos de 4 meses, por vídeo chamada, e apoio para ingressar no mercado da tecnologia após a sua formação.

“O nosso compromisso como edtech social é formar cada vez mais talentos e ajudar pessoas que não encontram oportunidades em outros mercados de trabalho. Com isso, estamos construindo pontes entre o presente e o futuro da tecnologia, capacitando profissionais e impulsionando empresas para o sucesso”, finaliza Guilherme.

Leia Mais

Outras Notícias