sábado, maio 25, 2024

Elea Digital Data Centers avança no compromisso de unir sustentabilidade, diversidade e inovação

Compartilhar

A Elea Digital Data Centers, ecossistema de data centers com a maior capilaridade do Brasil, divulgou seu Relatório de Sustentabilidade 2023, ano em que a empresa formalizou novos compromissos sustentáveis, com movimentos como a adesão ao Pacto Global das Nações Unidas (ONU) e ao iMasons Climate Accord e adotou ações afirmativas em seu processo de recrutamento e seleção e expandiu investimentos em projetos socioculturais.

O material analisa e destaca movimentos da companhia no último ano, ressaltando as iniciativas ligadas à governança ambiental, corporativa e social. Ele aborda temas cruciais para o setor de data centers, alinhados a um ou mais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Um dos principais temas abordados no documento é a emissão das debêntures verdes no valor de R$ 570 milhões, realizada no final de 2023. A transação consiste em garantir que o Water Usage Effectiveness (WUE), medida que relaciona o consumo de água com a energia utilizada de seus sete data centers atuais, atinja até 31 de dezembro de 2026 a marca de 0,20 litros por 1 quilowatt-hora; e até 31 de dezembro de 2028, reduza ainda mais para 0,18 litros por 1 quilowatt-hora. Outro compromisso da companhia atrelado à emissão é garantir que 40% de seus cargos de liderança sejam ocupados por grupos diversos até dezembro de 2026, sendo ao menos 30% mulheres e 10% outros grupos, com a previsão de aumento para até 45% até o último dia de 2028 – 34% das vagas preenchidas por mulheres e 11% outros grupos. A Elea foi a primeira empresa brasileira do setor de infraestrutura digital a emitir esses títulos verdes, e suas metas são acompanhadas por indicadores de desempenho definidos e serão auditadas por terceiros para garantir sua implementação e desenvolvimento.

A empresa também prioriza o uso eficiente de recursos energéticos. Além de utilizar 100% de energia renovável em seus sites e promover a reciclagem de elementos obsoletos em conformidade com a Lei Federal 12.305 de 2010, em 2023 a Elea incorporou outras medidas voltadas para consumo consciente de recursos, como a substituição de 3 Chillers 190 à água no data center CTA1 (Curitiba), garantindo uma economia de 99,99% do consumo, e captação de água de chuva e tratamento do esgoto para reuso no data center RJO1 (Rio de Janeiro) – site recentemente expandido.

Outro passo importante do último ano foi a implementação da primeira fase do projeto do segundo data center da Elea em Porto Alegre – o maior da região sul, com disponibilidade de 1MW, podendo alcançar 7MW quando atingir plena capacidade. O POA2, como os demais sites da companhia, é operacionalizado com energia 100% renovável e carrier-neutro. O site também prevê um WUE zerado combinado com o PUE Design inferior a 1,5.

O Relatório de Sustentabilidade 2023 da Elea também prevê ações voltadas para mitigação de riscos, compliance e proteção de dados. Embora não seja responsável pelos dados dos clientes que utilizam os serviços de colocation, a empresa está comprometida a operar em total conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e as melhores práticas definidas na ISO 27001 e no NIST Cyber Security Framework. O documento também contém o fluxo interligado de gestão de riscos ESG da Elea, dividido em 5 fases: identificação dos riscos, avaliação e priorização, mitigação e controle, monitoramento e revisão e comunicação.

“O crescimento econômico de qualquer empresa está diretamente ligado à forma sustentável como ela dialoga com o meio ambiente e a sociedade. As pautas ESG precisam estar inseridas nas decisões de investimento, nas operações e em toda a cadeia de suprimentos. Não tem como pensarmos em conectividade, sem que esteja aliada à sustentabilidade” – afirma Marco Girardi, CFO da Elea Digital Data Centers, que atua integrando os aspectos econômicos e financeiros aos da economia verde no setor de TI e telecomunicações.

Leia Mais

Outras Notícias