quarta-feira, maio 22, 2024

Ministra defende cooperação multilateral em debate sobre IA

Compartilhar

A ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, defendeu que os debates sobre Inteligência Artificial (IA) no âmbito do G20 ajudem a reduzir as desigualdades entre os países no desenvolvimento da tecnologia. A ministra participou do encerramento do seminário “Inteligência Artificial para Equidade Social e Desenvolvimento Sustentável”, realizado nesta quarta-feira (17) pelo MCTI, que coordena o eixo de IA no Grupo de Economia Digital do G20.

“Não é possível pensar em uma estratégia de inteligência artificial que não seja com cooperação multilateral, de como nos relacionar e, ao mesmo tempo, enfrentar as assimetrias”, afirmou a ministra. Segundo ela, os debates em torno da inteligência artificial devem ser feitos conjuntamente pelos países do G20 para que a tecnologia possa ser aproveitada em benefício da humanidade e do interesse público.

“A Inteligência Artificial abre inúmeras possibilidades de aplicações, que podem trazer incríveis benefícios para a sociedade. Mas a distribuição global desigual de ativos e infraestrutura de IA – concentrada em um grupo pequeno de empresas privadas – suscita preocupações de que ela aprofunde as assimetrias de poder entre as nações”, destacou Luciana Santos.

A ministra ressaltou que o Brasil está debatendo a inteligência artificial na dimensão que o assunto merece. Ela apontou que o assunto foi tema da última reunião do Conselho de Ciência e Tecnologia e o país deve concluir a revisão da Estratégia Brasileira de Inteligência Artificial (EBIA) até junho.

“É necessário discutir as vocações de cada nação na área de IA, como usar essa tecnologia para o benefício da população, para melhorar as condições de vida das pessoas, preservar o meio ambiente, enfrentar a crise climática e a fome”, reforçou Luciana Santos.

Desafios

O seminário “Inteligência Artificial para Equidade Social e Desenvolvimento Sustentável”, promovido pelo MCTI em parceria com a Unesco, discutiu os desafios e caminhos para soluções que sejam inclusivas, equitativas e sustentáveis, envolvendo inteligência artificial.

A programação contou com quatro painéis com os seguintes temas: Desafios na Superação das Desigualdades de Infraestrutura para o Desenvolvimento da IA; Desafios na pesquisa, desenvolvimento e formação de recursos humanos em IA; Desafios éticos e impactos do uso da IA na sociedade: desafios culturais, linguísticos, de diversidade social, éticos e de privacidade; Governança da IA: Desafios nacionais e internacionais.

O evento contou com a presença de especialistas brasileiros e de outros países, do setor acadêmico, empresarial e da sociedade civil, que apontaram caminhos a seguir e evitar. Entre as autoridades, participaram o secretário de Ciência e Tecnologia para a Transformação Digital do MCTI, Henrique Miguel, o embaixador Luciano Mazza, chair do Grupo de Trabalho de Economia Digital do G20 durante a presidência brasileira, e a diretora e representante da Unesco no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto.

Leia Mais

Outras Notícias