sexta-feira, maio 17, 2024

Biodiesel: Be8 avança em internacionalização e investe em inovação

Compartilhar

O avanço para o mercado dos Estados Unidos, o investimento em nova tecnologia de produção de biocombustível e o lançamento do projeto de produção de etanol à base de cereais marcaram o ano sob a nova identidade institucional da Be8. “O ano de 2023 foi caracterizado por ações que apontam para um novo posicionamento estratégico na direção de construir uma companhia de tecnologia global, focada em energias renováveis, com investimentos em inovação e avanço no processo de internacionalização”, disse Erasmo Carlos Battistella, presidente da Be8, durante o lançamento da nova edição do Relatório de Sustentabilidade.

Lançado nesta segunda-feira, 15 de abril, em Passo Fundo (RS), o Relatório apresenta os principais avanços da empresa nos pilares de preservação do meio ambiente, desenvolvimento social e boas práticas de governança (ESG), assim como seu desempenho operacional e financeiro no período.

O Relatório apresenta um Estudo de Impacto Econômico, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE, em 2021, que indica que a Be8 foi responsável por 22,5% do PIB de Passo Fundo, tendo gerado 11 mil empregos adicionais diretos e indiretos. De 2010 a 2021, a empresa contribuiu direta e indiretamente com R$ 19,9 bilhões para o PIB da cidade (a preços de 2021). A arrecadação com impostos no município teve aumento líquido de R$ 3,4 bilhões entre 2005 e 2021.

O mesmo estudo avaliou que em 2021, a Be8 foi responsável por 53,59% do PIB da de Marialva, tendo gerado 2 mil empregos adicionais direta ou indiretamente. A contribuição total (direta e indireta) da Be8 para o PIB de Marialva entre 2010 e 2021 foi de R$ 7,2 bilhões (a preços de 2021). O aumento líquido na arrecadação total de impostos no município entre 2010 e 2021 alcançou R$ 1,1 bilhão.

A transição estratégica em 2023 se deu em um contexto macroeconômico desafiador, com altas taxas de juros, queda no preço das commodities (a cotação da soja caiu cerca de 20% no ano), menor consumo de biocombustíveis no Brasil no primeiro trimestre do ano passado (com mistura de 10% – B10, no período) e redução médio dos preços em 30% (dados da ANP), que explicam os resultados da companhia no ano. A Be8 atingiu no período uma receita líquida de R$ 7,2 bilhões, com redução de 23% em relação ao ano anterior. O EBITDA alcançou R$ 298 milhões, 16% inferior em comparação com 2022.

Em 2023, a Be8 produziu em todas as suas unidades 891.454 m³ de biodiesel. No Brasil, a empresa manteve por mais um ano a liderança com um volume de 801.427 m³ comercializados no país e 10,9% do market share do setor. As unidades industriais de Marialva (PR) e Passo Fundo passaram por ampliações no ano de 2023, alcançando a capacidade de 540 milhões de litros de biodiesel/ano cada uma.

A Be8 exportou em 2023 cerca de 85 milhões de litros de biodiesel, um aumento de 57% em relação ao ano anterior. Esse crescimento ocorreu basicamente pelas primeiras exportações para os Estados Unidos inauguradas no ano passado, que representou 53% das operações do período. “O sucesso da exportação de biodiesel é uma demonstração de que temos qualidade, capacidade e preço para conquistar esses mercados mais exigentes”, disse Battistella. No total, 20 países receberam produtos ofertados pela Be8.

Previsibilidade

Por outro lado, a decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) de aumentar o mandato do biodiesel para 14% em março de 2024 e para 15% em março de 2025 criou uma perspectiva positiva de retomada e crescimento ao devolver ao mercado a previsibilidade que o setor industrial tanto desejava.

“A aprovação do Projeto de Lei Combustível do Futuro na Câmara dos Deputados foi outra sinalização muito positiva para consolidar um arcabouço legal que permite o avanço de vários biocombustíveis no Brasil e cria condições para ampliar as exportações de biodiesel, o que vai reforçar nossa indústria, consolidando o país e a América do Sul como referência em energia limpa”, destacou Battistella. O projeto está agora em análise no Senado Federal.

Be8 BeVant – a marca da inovação

Um dos principais anúncios em 2023, o Be8 BeVant é um novo biocombustível que pode ser usado 100% puro em motores a diesel e é indicado para atender as demandas dos setores de logística, de transportes coletivos e de cargas nos modais rodoviário, hidroviário, marítimo e ferroviário, assim como equipamentos para a produção de minérios. A inovação representa um investimento de R$ 80 milhões em pesquisa, desenvolvimento e na construção de uma nova linha de produção em Passo Fundo (RS), que terá capacidade para produzir 150 milhões de litros/ano.

O projeto segue seu cronograma com previsão de oferta do produto no quarto trimestre deste ano. A fase de testes em motores Euro VI em banco de provas foi superada e comprovou as vantagens e características do produto. Está em andamento o Programa de Demonstração e Validação em parceria com fabricantes e frotistas. A Be8 também conduz negociações de contratos de oferta do produto com empresas interessadas.

Diversificação de portfólio

Em 2023, a empresa deu um importante passo para a diversificação do portfólio de combustíveis sustentáveis, com o anúncio da construção de uma usina de etanol em Passo Fundo (RS). Com investimento de R$ 1 bilhão, a fábrica ocupará uma área total de 80 hectares. A expectativa é de que as obras sejam iniciadas em 2024.

A operação terá diferenciais importantes, como a utilização de matérias-primas abundantes na região (trigo, milho, triticale, arroz e sorgo) para a produção de etanol anidro e hidratado. A unidade também vai fabricar farelo oriundo da produção de etanol, conhecido como DDGS (Distiller’s Dried Grains with Solubles ou Grãos Secos de Destilaria com Solúveis, em português), que tem grande potencial de uso na produção de rações animais.

Outro grande destaque da planta, será a produção de glúten vital, um concentrado proteico em pó obtido a partir da farinha de trigo e normalmente utilizado como aditivo na panificação. A integração da linha de produção ao processo do etanol permite aproveitar a mesma matéria-prima, extraindo a proteína do cereal para produzir o glúten e o amido para o biocombustível. A unidade terá capacidade para produzir 27 mil toneladas/ano de glúten vital.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou em março deste ano financiamento no valor de R$ 729,7 milhões para a construção de fábrica de etanol e farelo, sendo do total, R$ 500 milhões provenientes do Programa BNDES Mais Inovação.

Internacionalização

No mercado internacional, a Be8 realizou a primeira operação brasileira de exportação de biodiesel para os Estados Unidos. O volume contou com a certificação Renewable Fuel Standard (RFS) da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA). O pioneirismo já era marcante na Companhia desde 2013, quando inaugurou o comércio de biodiesel brasileiro com a União Europeia, entre outras operações expressivas realizadas ao longo dos anos.

Em paralelo, a empresa avançou na internacionalização com a aquisição de uma fábrica de biodiesel e produtos derivados da soja, em La Paloma del Espíritu Santo, no Paraguai. A aquisição reafirma o posicionamento de diversificar os investimentos e internacionalizar a empresa. Ainda em 2023, a Be8 deu início às operações de importação de grãos do Paraguai, adquirindo volumes expressivos de soja para atender às demandas da indústria. Paralelamente, a empresa passou a oferecer o transporte direto de soja e milho até o cliente final, com origem em La Paloma, por meio de parcerias comerciais estabelecidas no Paraguai.

Fornecedor Sustentável

Como parte da estratégia de internacionalização e para fortalecer a cadeia produtiva, a Be8 desenvolveu o Programa Crédito de Fornecedor Sustentável Be8 (2SC), que oferece apoio e incentivos para que fornecedores obtenham certificações sustentáveis, ampliando o volume de biodiesel adequado às exigências dos mercados brasileiro e internacional. O programa foi lançado em 2022 e, em 2023, a empresa realizou os primeiros pagamentos em forma de Créditos de Descarbonização (CBIO) aos fornecedores certificados.

Tecnologia para rastreabilidade

Além de incentivar a certificação dos fornecedores pelo Programa 2SC, em 2023, a empresa implantou um mecanismo adicional para potencializar a rastreabilidade da soja, com o uso de plataformas de satélites. A tecnologia permite checar se houve ou não desmatamento nas regiões de cultivo do grão. O objetivo principal é gerar oportunidades de negócios bem como atender aos critérios de sustentabilidade exigidos pelas certificações.

Omega Green

Em 2023, a Be8 aumentou o escopo de produção da biorrefinaria Omega Green para magnificar a produção de combustível renovável para aviação SPK (Synthetic Paraffinic Kerosene) – também conhecido como Sustainable Aviation Fuel (SAF). A unidade também estará habilitada a produzir diesel renovável HVO (Hydrotreated Vegetable Oil) e o Green Naphtha, usado na indústria química para fazer plástico verde, entre outros produtos. A capacidade será de 20 mil barris/dia de HVO e/ou SPK. Outro insumo já previsto é o GLP Verde, um gás renovável produzido a partir de matérias-primas orgânicas, como óleos vegetais e gorduras animais, idêntico ao gás liquefeito tradicional (GLP). O investimento no projeto deve atingir mais de US$ 1 bilhão – o maior aporte privado da história do Paraguai – e permitir que suas operações comecem em 2027.

Confira a íntegra do Relatório de Sustentabilidade neste link:

Leia Mais

Outras Notícias