quarta-feira, maio 22, 2024

Plataforma Ancestralidades abre inscrições para chamamento com foco em Meio Ambiente e Raça 

Compartilhar

Itaú Cultural e Fundação Tide Setubal lançam a segunda edição do Programa Ancestralidades de Valorização à Pesquisa. Desta vez, o objetivo é selecionar projetos que destaquem temas ligados à ideia do bem viver, em territórios urbanos   e rurais, diante dos efeitos e impactos das mudanças climáticas, e de enfrentamento   às práticas de racismo e outras formas de discriminação que aprofundam as desigualdades raciais no Brasil    

No dia 23 de abril, às 10h, o Itaú Cultural e a Fundação Tide Setubal abrem as inscrições para a segunda edição do Programa Ancestralidades de Valorização à Pesquisa 2024 – Meio Ambiente e Raça. Serão selecionados até 12 estudos e pesquisas, tanto em andamento quanto finalizados, que abordem as temáticas: territórios e territorialidades, ecologia, bens da natureza, conservação ambiental urbana e rural e adaptação climática, que enfrentem o racismo e todas as formas de violência correlatas. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas em www.ancestralidades.org.br até as 17h do dia 24 de maio. O resultado será publicado neste mesmo endereço, em 8 de novembro.

O chamamento é dedicado a pessoas físicas, pretas ou pardas, maiores de 18 anos, brasileiras – natas ou naturalizadas – residentes no Brasil ou estrangeiras com residência fixa no país há mais de dois anos, estudantes, integrantes ou associados a centros de pesquisas, universidades, Organizações da Sociedade Civil (OSCs), coletivos, instituições e observatórios.

Em ambas as categorias, Pesquisa e Estudo em andamento e Pesquisa e Estudo concluído, também serão aceitos trabalhos em formatos digitais e/ou audiovisuais, tais como registros fotográficos, sonoros e de memória oral; documentários; sites; aplicativos; entre outros. Cada pessoa poderá se inscrever apenas uma vez em cada uma das categorias, porém é possível ser inscrever em ambas – para cada uma, deverá ser efetuada uma nova inscrição. Será selecionado, no entanto, somente um trabalho por candidatura inscrita. O prêmio para Pesquisa e Estudo em andamento é de R$12 mil e para Pesquisa e Estudo concluído de R$18 mil.

As pesquisas inscritas serão analisadas por duas comissões. A primeira é a de Avaliação – formada por pessoas pesquisadoras, docentes e especialistas na temática – que examinará se os projetos atendem em parte ou integralmente aos critérios norteadores do programa, além da diversidade territorial, regional e de gênero, bem como seu vínculo com as temáticas das ancestralidades negras brasileiras. Os critérios do programa são: pertinência do tema, referências teóricas e/ou fontes de conhecimento, metodologia da pesquisa, ineditismo/inovação, interdisciplinaridade.

Em seguida, cabe exclusivamente à Comissão de Seleção a escolha final dos trabalhos aprovados. Ela é composta por cinco integrantes: três profissionais de reconhecida atuação na área, um representante do Itaú Cultural e um da Fundação Tide Setubal.

Descritivo da temática

Busca-se projetos práticos-teóricos que traduzam outras perspectivas de relação sujeito-objeto-natureza, em que seres vivos e não vivos sejam considerados e respeitados nas diferentes escalas da natureza. Os projetos devem produzir conhecimentos que estimulem a ideia do bem viver, em territórios urbanos e rurais, diante dos efeitos e impactos das mudanças climáticas. 

O chamamento dialoga com projetos ecológicos e de convivência inovadora, com análises sistemáticas e resultados práticos de enfrentamento às práticas de racismo e outras formas de discriminação que aprofundam as desigualdades raciais no Brasil. 

O intuito é mapear e fortalecer as redes de pesquisa e estudos em torno das iniciativas em práticas científicas e tecnológicas inclusivas aplicadas com foco em estratégias de luta e resistência à opressão sistêmica que impacta as condições de vida das pessoas negras nas comunidades periféricas urbanas, comunidades e territórios quilombolas, comunidades de povos de matriz africana e demais comunidades tradicionais, em todas as esferas do direito corporal, territorial e das territorialidades.

Plataforma Ancestralidades

A proposta desta plataforma é difundir, gerar intercâmbios e potencializar diversos conteúdos sobre a temática que dá nome ao projeto. Ela é composta pelos eixos temáticos Arte e Cultura, Democracia e Direitos Humanos, Religiosidade e Espiritualidade e Ciência e Tecnologia. Por meio de navegação amigável, disponibiliza, para consultas, verbetes sobre as raízes afro-brasileiras em um acervo que será acrescido ao longo do tempo. 

Com a proposta de formar e criar repertórios sobre o assunto, apresenta biografias e trajetórias de personalidades negras e suas histórias, listagem dos marcos históricos desde o início do século XVI e conceitos sobre o tema, como raça, gênero, quilombo, afrofuturismo, entre outros, assim como espaços para cursos.

SERVIÇO:

Segunda Edição do Programa Ancestralidades de Valorização à Pesquisa 2024 – Meio Ambiente e Raça

Inscrições: De 23 de abril, às 10h, a 24 de maio, às 17h

Resultado da seleção: Dia 8 de novembro 

Inscrições e informações na plataforma Ancestralidades www.ancestralidades.org.br  

Leia Mais

Outras Notícias