quarta-feira, maio 22, 2024

Aperam BioEnergia adquire máquinas que mecanizam plantio de florestas renováveis em período de chuvas

Compartilhar

Com planos de se alinhar cada vez mais à indústria 4.0, a Aperam BioEnergia fechou uma parceria com a sueca Plantma Forestry e seu Dealer Timber Forest para adquirir duas unidades de uma máquina – Plantma-X – capaz de realizar o plantio mecanizado de mudas de eucalipto em suas florestas renováveis, no Vale do Jequitinhonha, durante o período de chuvas. Tal feito permitiu que a Aperam BioEnergia se tornasse a primeira empresa no mundo a desenvolver, testar e utilizar o equipamento em plantios de eucalipto.

O diretor de Operações da Aperam BioEnergia, Edimar de Melo Cardoso, explica que a empresa sempre foi referência no plantio mecanizado de mudas, mas, em 2019, abriu mão dessa vantagem tecnológica por uma questão de sustentabilidade, após decidir concentrar o plantio apenas em períodos chuvosos. A medida eliminou a necessidade de irrigação artificial neste processo, reduzindo a captação de água das represas.

“Com isso, essa etapa, que era 90% mecanizada, voltou a ser manual, pois não havia máquina capaz de realizar o plantio no período chuvoso. Além disso, a escassez de mão de obra temporária evidenciou a necessidade de inovar, de buscar um equipamento capaz de fazer o serviço também durante o período chuvoso”, diz.

“Nossa expectativa com a Plantma-X é grande e, após testes bem-sucedidos, decidimos incluir o equipamento no nosso parque de máquinas”, acrescenta Geraldo Vitor, gerente executivo da Aperam BioEnergia. A madeira cultivada nas florestas da Aperam BioEnergia é transformada em carvão vegetal e utilizada como energia para a produção do Aço Verde Aperam, na usina siderúrgica de Timóteo (MG).

As máquinas já estão sendo utilizadas neste período chuvoso. Segundo Geraldo Vitor, retomar a mecanização no plantio, que permanecerá concentrado na época das chuvas em função de uma maior sustentabilidade da operação, vai garantir mais regularidade e precisão ao processo, com maior qualidade e padronização das linhas de plantio.

A plantadeira também melhora substancialmente as condições de trabalho no campo, além de permitir que os colaboradores que hoje se dedicam a essa função manual possam ser capacitados para atuar em atividades de maior valor agregado.

A PlantMax X3 subsola realiza adubação, planta a muda e aplica pré-emergente com produtividade média de até 2.700 mudas por hora, dependendo das condições do terreno. A máquina possui recursos avançados que georreferenciam as mudas, emitindo identificação para cada exemplar, o que torna possível rastrear cada indivíduo no campo. Além disso, explica Rafael Macedo, coordenador de marketing da Timber, a tecnologia embarcada do equipamento permite realizar diagnósticos e ajustes em tempo real da plantadeira de forma remota por especialistas da Timber, o que agiliza a realização de ajustes e atendimento à distância.

Ele lembra que, atualmente, a silvicultura vive momento único e importante com a implementação eficaz da mecanização no plantio. Atualmente, a oferta de mão de obra para serviços braçais no campo está extremamente reduzida, devido à mudança de cultura e pela própria severidade deste tipo de serviço. Além disso, este movimento da mecanização traz segurança para os profissionais e para operação, conforto, amplia a produtividade e reduz custos.

“A Plantadeira PlantMax X3 é resultado de anos de pesquisa, um grande feito endereçado por profissionais experientes com extensos currículos de realizações na mecanização florestal. Por entenderem cada aspecto do processo e o desafio do plantio mecanizado de mudas, que precisa superar uma série variáveis, a Plantma, empresa com sede na Suécia, foi capaz de entregar uma solução que supera cada ponto de dificuldade da atividade, entregando quatro operações de forma simultânea, com alta produtividade e abastecendo a empresa com informações precisas. O que antes da operação feita por uma máquina era inviável”, afirma Macedo.

Leia Mais

Outras Notícias