sexta-feira, maio 17, 2024

Hathor e Lifeverso se unem para criar sistema de doações e comunidade para Hospital Amaral Carvalho

Compartilhar

O crescimento da tecnologia trouxe urgência para diversos segmentos modernizarem suas operações, o que também inclui as instituições filantrópicas. Para conquistar novos doadores e criar um senso de comunidade, as instituições estão apostando cada vez mais em uma jornada digital, o que garante uma forma mais flexível e atrativa de captar recursos e interagir com pessoas. Diante disso, a  Hathor Network, tecnologia blockchain usada e certificada dentro do Sandbox da  CVM, e a  Lifeverso, plataforma de marketing  de relacionamento entre marcas e públicos, se uniram para criar um sistema de doações e formação de comunidade para o Hospital Amaral Carvalho. No formato de tokens não-fungíveis (NFTs, na sigla em inglês), criaram uma coleção exclusiva de cards digitais que permite aos doadores receberem cards digitais colecionáveis conforme realizam suas doações, incentivando contribuições para a instituição.

A doação com o resgate de cards digitais do mascote “Ursinho Elo”, inspirado no tema pediatria do hospital, e que usam a blockchain da Hathor, é realizada no site do Hospital ou no aplicativo da Lifeverso, onde os usuários acessam diferentes experiências em função de seus cards. Esses ativos digitais têm a função de autenticar e qualificar o nível de acesso a cada experiência. Os cards são emitidos por entidades que buscam doações ou maior engajamento com seu público – doadores ou fãs. A plataforma funciona como um canal de doação, com níveis diferenciados de acesso para doadores e ainda disponibiliza experiências e benefícios exclusivos oferecidos por empresas parceiras das instituições emissoras de cards.

Segundo Diego Guareschi, CMO da Hathor, essa parceria é a prova do quanto a tecnologia blockchain vem crescendo e como tem contribuído para diversos setores da sociedade, para além da economia. “Estamos muito felizes em fazer parte desse projeto e sermos escolhidos como a rede blockchain de uma iniciativa que trata de uma causa social tão importante. É satisfatório ver ações como essas em que a tecnologia impacta positivamente a vida de diversas pessoas e isso reflete no compromisso que temos com o desenvolvimento social e de sustentabilidade”, comenta.

A Hathor fornece a estrutura e expertise para que a Lifeverso faça a devida gestão dos saldos de cards de usuários a partir de suas contas com e-mail e senha. “O custo de transação e o suporte próximo da equipe da Hathor são fatores chave no uso da tecnologia. Em toda a jornada do aplicativo, o uso da blockchain traz segurança, identificando e qualificando o usuário para acessar experiências conforme o requisito de cards na carteira. Além da segurança e transparência, o card é de propriedade do usuário, o que simplifica a oferta cruzada de benefícios entre empresas e instituições, eliminando desafios de LGPD e integração de sistemas com bases de dados”, explica Bruno Schmidt, CEO da Lifeverso.

O projeto é inovador para o setor com a utilização da tecnologia blockchain, sendo uma importante ferramenta para a interação com os diferentes públicos de interesses do hospital, sejam eles pacientes, familiares e acompanhantes, apoiadores, empresas parceiras, comunidade e profissionais do hospital.  O uso da plataforma permite criar interações inovadoras com empresas parceiras por meio da criação de vantagens para seus consumidores que apoiam o hospital adquirindo os cards (clube de vantagens e consciência social – ESG), criar conexões emocionais com quem se importa com o próximo ou passa por um tratamento oncológico (coleções digitais) e inserir a comunidade em assuntos da instituição, por exemplo, poder participar de pesquisas e enquetes para a tomadas de decisões.

“Acreditamos no uso da tecnologia para favorecer nossa missão de luta pela vida, e queremos que nossos doadores façam parte ativamente de nossa comunidade, não apenas com suas doações, mas também com suas opiniões e participação. O card digital é uma maneira inovadora e segura de entrar para nossa comunidade digital e fazer parte de nossa jornada pela vida. Tenho a certeza de que, quanto mais evoluirmos no uso da tecnologia, mais os horizontes se abrirão”, finaliza Renato Fachim, responsável pela Comunicação e Marketing do Hospital Amaral Carvalho.          

Como funciona a doação com cards digitais?

Cada card tem um valor de doação agregado a ele. O usuário escolhe um ou mais cards, faz o pagamento em cartão de crédito ou pix. Assim, estará doando diretamente para o Hospital e sua escolha de cards irá automaticamente para sua conta no aplicativo da Lifeverso. Na plataforma é possível visualizar seu card e participar de experiências com a comunidade. Com a tecnologia blockchain, o app da Lifeverso consegue ver o que há na sua coleção, e destrava vários benefícios dando acesso para participar em muitas experiências, e sem gastar os cards. O doador participa, ganha e quanto mais usar, mais a utilidade da sua coleção aumenta.

Hathor Labs

Fundada em 2018 a partir da tese de doutorado do brasileiro Marcelo Salhab Brogliato, CTO da empresa, a Hathor Labs desenvolve e mantém a Hathor Network, uma rede blockchain de primeira camada global focada em usabilidade e escalabilidade. A Hathor Network permite a criação de soluções em blockchain de maneira simples, rápida, escalável, segura e com zero custo de transações.

Lifeverso

Fundada em 2022, com o propósito de aproximar marcas e públicos, a Lifeverso utiliza tecnologia Blockchain e consultoria de negócios para alinhar interesses de diferentes classes de stakeholders na sociedade em direção a objetivos sociais. O objetivo é atingir maior engajamento social, motivado pela agregação concreta de utilidade às atividades dos envolvidos. 

Leia Mais

Outras Notícias