sábado, maio 25, 2024

CTIBC vai construir política de descarbonização da indústria

Compartilhar

O Comitê Técnico da Indústria de Baixo Carbono (CTIBC) deu início à construção da Política Nacional de Descarbonização da Indústria (PNDI), que vai traçar estratégias de redução de emissões de gases de efeito estufa para setores intensivos de consumo de energia.

Alinhado à Nova Indústria Brasil, um roteiro inicial que servirá de ponto de partida para as discussões foi apresentado, nesta terça-feira (12), pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), durante a 9ª reunião do CTIBC, em Brasília (DF).

No encontro, o secretário de Indústria Verde, Descarbonização e Bioindústria do MDIC, Rodrigo Rollemberg, ressaltou a importância de se discutir a política para a descarbonização de setores, fortalecendo a indústria nacional.

“Esse é o grande desafio. Da mesma forma que o Brasil lançou recentemente uma política de descarbonização do setor automobilístico, acho que nós deveríamos fazer o esforço muito grande para apresentar o projeto de descarbonização da indústria, como a do aço, do cimento, do alumínio e da aviação. Até para tornar esses setores mais competitivos no plano internacional”, avaliou o secretário.

Debate intersetorial

Com foco em 11 setores (cimento, química, siderúrgico, alumínio, cimento Portland, papel e celulose, vidro, cal, têxtil, alimentos e aviação), será realizada uma série de seminários temáticos com a participação de representantes do governo, do setor produtivo e da academia, em alinhamento entre o CTIBC e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Indústria (CNDI).

“Vamos discutir com todos quais são as rotas tecnológicas, o que precisaríamos de formulação de instrumentos regulatórios, instrumentos de crédito, instrumentos de apoio à pesquisa e desenvolvimento para reduzir a emissão e acelerar o processo de descarbonização, que já vem avançando”, ressaltou o secretário, lembrando que política de descarbonização vai contribuir para o alcance das metas brasileira das Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) ao Acordo de Paris.

O coordenador-geral de Descarbonização do MDIC, Gustavo Fontenele, explicou que a PNDI vai trabalhar alinhado a diferentes instrumentos, como o Plano Setorial de Mitigação de Emissões da Indústria e o HUB de Descarbonização da Indústria. 

A PNDI terá como base seis pilares, que vão impactar os setores intensivos em emissões, e iniciativas transversais que buscam a descarbonização da indústria em geral:  Inovação Tecnológica e Eficiência Energética; Energias Renováveis; Economia Circular; Capacitação e Formação; Financiamento Verde; e Legislação e Normas.

“Então, é arregaçar as mangas e começar a pensar em metas diferentes para os diferentes setores. É pensar metas e pensar no processo de amadurecimento para cada um desses setores, das suas rotas tecnológicas. Isso é muito importante e é o que nós vamos fazer”, destacou Verena Hitner, secretária executiva do CNDI.

HUB de descarbonização

Durante a 9ª reunião do CTIBC, o MDIC apresentou o plano de trabalho do HUB de Descarbonização Industrial no Brasil, para o qual a Secretaria de Economia Verde espera receber contribuições dos membros do CTIBC.

Resultado do acordo de cooperação entre Brasil e Reino Unido assinado na COP 28, o HUB é uma plataforma de mobilização de parceria para de descarbonização do setor industrial. Por isso, facilitará o envolvimento entre atores nacionais e internacionais – parceiros bilaterais, fundos multilaterais, programas de assistência técnica, coalizões e iniciativas do setor privado e o governo do Brasil para mobilizar apoio à mitigação, transição e descarbonização de setores industriais.

Os debates para a construção do plano de ação do HUB de Descarbonização da Indústria seguem até 26 de março, quando será realizada uma mesa redonda para alinhar as contribuições e aprovar o plano.

Leia Mais

Outras Notícias