sexta-feira, maio 17, 2024

British Council anuncia inscrições para bolsas de mestrado no Reino Unido destinadas a mulheres em ciências, tecnologia, engenharia e matemática

Compartilhar

Em comemoração ao Mês da Mulher, em março, e ao Dia Internacional das Meninas e Mulheres em STEM (que concentra disciplinas nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática), celebrado em 11 de fevereiro, o British Council anuncia o lançamento da quarta chamada para o programa British Council Scholarships for Women in STEM. Mulheres brasileiras graduadas nessas áreas poderão se inscrever para concorrer a dez bolsas de mestrado em universidades do Reino Unido.

Globalmente, o British Council estabeleceu programas de apoio para mulheres e meninas em STEM, projetados com uma abordagem holística. O objetivo é inspirar mulheres jovens a estudar carreiras em ciência, tecnologia, engenharia e matemática, além de ajudar aquelas que trabalham nessas áreas a alcançar posições de liderança e fazer contatos com seus pares em sua região de origem e no Reino Unido.

Essas iniciativas incluem uma parceria global com 19 universidades do Reino Unido. Para o Brasil, as universidades de Aston e Essex são as que oferecerão vagas destinadas a mulheres brasileiras com formação em STEM que desejam inspirar as futuras gerações, especialmente as que vivem sob restrições financeiras, a seguirem as carreiras abrangidas. As candidatas selecionadas receberão uma bolsa de estudos para cursar mestrado em uma das prestigiadas universidades do Reino Unido que integram o projeto.

Sobre as bolsas de estudo

As bolsas de estudo foram projetadas para aprimorar as carreiras das mulheres em STEM, fornecendo a elas o apoio necessário para que se destaquem em seus campos escolhidos. As bolsas incluem os seguintes benefícios:

Taxas de visto

Despesas de viagem (voos e acomodação)

Taxas de matrícula na universidade escolhida

Curso de inglês, se for necessário apoio linguístico

Reembolso da taxa de exame de idioma inglês IELTS, se necessário

Seguro médico

As beneficiárias das bolsas de 100% terão à disposição ferramentas para promover a pesquisa e a inovação em seus países de origem, fomentando o progresso e o avanço em STEM.

Data relevante

O prazo de inscrição para as bolsas de estudo vai até o dia 30 de abril 2024 nas universidades de Aston e Essex, que oferecerão vagas para brasileiras com formação em STEM. Recomenda-se que as candidatas verifiquem os prazos nos sites de cada universidade.

Como se inscrever

Para obter informações detalhadas sobre os procedimentos de inscrição e os critérios de elegibilidade, as candidatas interessadas devem visitar o site oficial do British Council no Brasil em: https://bit.ly/4841tLE

“Baixos níveis de diversidade e a lacuna de gênero em STEM têm repercussões significativas na economia e na inovação, afetando o crescimento e a criatividade. Menos de 30% das alunas selecionam no ensino superior áreas relacionadas ao STEM. A previsão de que 133 milhões de empregos exigirão habilidades em ciência, tecnologia, engenharia e matemática nos próximos anos destaca a urgência de abordar essa disparidade”, diz Diana Daste, Diretora de Engajamento Cultural do British Council para o Brasil.

“Nesse contexto, a quarta chamada para o programa British Council Scholarships for Women in STEM (Bolsas para Mulheres em STEM) no Brasil busca apoiar mulheres talentosas e inspiradoras para realizar seus cursos de Mestrado no Reino Unido, promovendo um futuro inclusivo e inovador”, afirma.

As mulheres brasileiras graduadas em STEM interessadas em concorrer a uma bolsa de mestrado no Reino Unido poderão conhecer mais detalhes sobre o programa em um webinar a ser realizado pelo British Council no dia 13 de março (quarta-feira).

O programa busca oferecer às mulheres em STEM oportunidades para crescimento pessoal, familiar e profissional, alinhadas com as demandas do mercado de trabalho atual. O cenário é desafiador, pois segundo o Fórum Econômico Mundial, no ritmo atual, serão necessários cerca de 250 anos para alcançar a equidade salarial entre homens e mulheres.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a diferença de remuneração entre ambos os gêneros voltou a subir no Brasil em 2022, chegando a 22%. Isso significa que uma brasileira recebe, em média, 78% do que ganha um brasileiro. Um estudo de 2018 do Banco Mundial mostra que a redução da diferença salarial entre os gêneros pode melhorar o PIB dos países em 3,3 pontos percentuais.

Leia Mais

Outras Notícias