quarta-feira, maio 22, 2024

Unesp cria Cátedra Sérgio Vieira de Mello para trabalhos acadêmicos com populações refugiadas

Compartilhar

A Unesp formalizou na última quinta-feira, 22 de fevereiro, um acordo de cooperação com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur-ONU) para a instituição da Cátedra Sérgio Vieira de Mello, voltada à atuação acadêmica com a temática dos refugiados.

Pelos termos do acordo, a Universidade reforça o seu compromisso com a promoção nas dimensões do ensino, da pesquisa e da extensão universitária de temas relacionados à migração internacional, ao refúgio e ao deslocamento forçado de populações. São exemplos de iniciativas que podem ser potencializadas com a parceria ações para fomentar o acesso e a permanência no ensino superior de pessoas em deslocamento forçado, a revalidação de diplomas dessas pessoas e o ensino da língua portuguesa à população de refugiados.

A Unesp é a 40ª universidade brasileira a instituir a Cátedra Sérgio Vieira de Mello (CSVM), homenagem ao diplomata brasileiro morto em decorrência de um atentado terrorista no Iraque, em 2003. A cátedra terá como sede a Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC), câmpus de Marília, e será coordenada pelo professor José Geraldo Poker, que há anos trabalha a temática com os estudantes do curso de relações internacionais.

A base institucional da cátedra é o trabalho que vem sendo realizado desde 2021 pela Rede de Atenção ao Migrante Internacional (Ramin), uma rede temática de extensão universitária formada por unidades universitárias dos câmpus de Marília, Assis, Araraquara, Franca e São José do Rio Preto.

“Trata-se de um engajamento da Universidade na resolução de uma questão social gravíssima, que é a questão da imigração e do refúgio, considerando deslocamentos forçados”, afirma o professor José Geraldo Poker. “Isso se reverterá em projetos de pesquisa, de extensão, de ensino que vão por sua vez oferecer melhores condições para os nosso alunos e uma formação ética responsável, uma formação que venha a ser suficiente e necessária para que as pessoas compreendam as questões do tempo de hoje”, diz o coordenador da cátedra.

A solenidade que marcou o lançamento da CSVM foi realizada na última quinta-feira, dia 22, no auditório da Escola Paulista de Magistratura, na região central da capital paulista, e liderada pela professora Maysa Furlan, vice-reitora no exercício da Reitoria. Participaram do evento representantes da administração central da Unesp, do Acnur, de unidades universitárias, dos graduandos em relações internacionais, da Secretaria da Justiça e Cidadania do estado de São Paulo, da Ordem dos Advogados do Brasil e da prefeitura de Marília. Durante a cerimônia, mais de uma pessoa lembrou de uma frase que pode resumir o norte do trabalho com refugiados: criar sonhos e construir futuros.

“A cátedra representa esperança”, diz a vice-reitora Maysa Furlan. “Não se pode ficar de olhos fechados a deslocamentos forçados e crises humanitárias.”

De acordo com dados do Acnur, existem cerca de 114 milhões de pessoas em deslocamentos forçados no mundo. No Brasil, nos últimos anos, foram marcantes os fluxos migratórios de haitianos, venezuelanos e afegãos. Representante do Acnur no Brasil, o italiano Davide Torzilli destaca que a estrutura multicâmpus da Unesp vai ao encontro da interiorização da população de refugiados. Segundo ele, atualmente, há pessoas refugiadas em todos os estados brasileiros, sendo atualmente o aeroporto internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, a principal porta de entrada dessas pessoas no país.

“Ter (parceria com) uma universidade que tem presença em todo o estado é fundamental para apoiar comunidades de refugiados que se integram em todas as partes do estado de São Paulo”, pontua Davide Torzilli. “Pelas experiências que temos, a cátedra tem tido um impacto enorme na vida das pessoas refugiadas. Não é só permitir o acesso ao ensino superior, mas também o compromisso dos professores e dos alunos em apoiar o refugiado no processo de integração à comunidade, tanto legal como cultural e socioeconômica”, diz.

No universo acadêmico, a parceria com o Acnur e a instituição da Cátedra Sérgio Vieira de Mello têm sido recebidas como uma grande oportunidade de enriquecer a experiência universitária dos cursos de graduação, em especial os de relações internacionais oferecidos nas cidades de Marília e Franca, e também dos programas de pós-graduação da Unesp que dialogam com a temática.

Leia Mais

Outras Notícias