quarta-feira, maio 22, 2024

Ericsson recebe aprovação da segunda fase do protocolo de metas climáticas pela Science Based Target Initiative

Compartilhar

Após superar as primeiras metas para redução de emissões de gases que causam o efeito estufa em consonância ao Acordo de Paris, com base no padrão científico de 1,5°C, a Ericsson, dá novo e importante passo em seu compromisso com o meio ambiente e obtém, da Science Based Targets Initiative (SBTi), a aprovação da segunda etapa do escopo de ações climáticas. A organização global apoiada pela ONU avalia, de forma independente, os compromissos e metas de redução de emissões de carbono das empresas, de acordo com as últimas descobertas científicas sobre o clima, e realizou uma avaliação rigorosa das metas da Ericsson em relação às iniciativas, ações e dados de emissões da empresa.

Com foco no NetZero, a companhia comprometeu-se a reduzir as emissões em toda a cadeia de valor da empresa em 90% até o final de 2040 – a partir dos níveis de 2020. A empresa também se compromete a neutralizar os 10% restantes com remoções de carbono aprovadas. Com a iniciativa, a Ericsson está entre as primeiras grandes empresas do mundo a adotar e estabelecer metas de ações climáticas, conforme critérios rigorosos estabelecidos por organizações como SBTi. As metas da segunda rodada da Ericsson já foram aprovadas, incluindo a meta Net Zero 2040 da empresa, anunciada em 2021.

“Como líder em tecnologia, com uma base sólida em pesquisa e desenvolvimento, compreendemos nossos impactos climáticos e a importância de limitar o aquecimento global a 1,5°C. As aprovações da SBTi são uma prova da abordagem da Ericsson baseada em ciência para ação climática que, em última análise, beneficiará a empresa, nossos stakeholders e a sociedade”, afirma Heather Johnson, Head de Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa da Ericsson.

Tratando a ação climática como uma questão estratégica urgente, a Ericsson tem priorizado alcançar metas relacionadas por meio de ações dentro da empresa, do portfólio de produtos e em toda a cadeia de valor mais ampla do negócio.

Protocolo de gases de efeito estufa

Essas prioridades estratégicas também estão alinhadas com o objetivo de 1,5°C – em que o aumento médio da temperatura global não deve exceder as médias pré-industriais em mais de 1,5°C para limitar as consequências potencialmente irreversíveis das mudanças climáticas. As emissões são categorizadas em três escopos, de acordo com o Protocolo de Gases de Efeito Estufa. O Escopo 1 abrange as emissões diretas de fontes de propriedade ou controle direto da Ericsson. Já o Escopo 2 abrange emissões indiretas, como as relacionadas à eletricidade usada nas instalações da empresa, onde comprou energia. As emissões do Escopo 3 são emissões indiretas de fontes que não pertencem ou são controladas pela Ericsson, mas que fazem parte da cadeia de valor da companhia, incluindo clientes e a cadeia de suprimentos.

Os novos objetivos da Ericsson seguem as recentes conquistas em relação às metas aprovadas pela SBTi em uma rodada anterior, que abrangeu de 2016 a 2022. Essas metas incluíam a redução de 35% das emissões nas categorias de Escopo 1, 2 e Escopo 3 para viagens de negócios e emissões de transporte downstream, e também alcançar 35% de economia de energia nos sistemas de rádio da Ericsson em comparação com o portfólio anterior. A companhia atendeu e superou essas metas dentro do prazo estabelecido, reduzindo-as em 60% e 39%, respectivamente.

Aprovada em dezembro de 2023 a SBTi estruturou a validação das novas metas da Ericsson da seguinte forma:

Meta NetZero

A Ericsson se compromete a atingir zero emissões líquidas de gases de efeito estufa em toda a cadeia de valor até o ano fiscal de 2040 (final de 2040).

Metas de Curto Prazo

A companhia se compromete a reduzir em 50% as emissões absolutas de gases de efeito estufa dos escopos 1, 2 e 3 (GHG) até o ano fiscal de 2030 (final de 2030), com base no ano fiscal de 2020 (final de 2020). Com essa meta, a Ericsson se compromete a reduzir em 90% as emissões absolutas de GHG dos escopos 1 e 2 e em 50% as emissões absolutas de GHG do escopo 3 no mesmo período.

Metas de Longo Prazo

A empresa se compromete a reduzir em 90% as emissões absolutas de gases de efeito estufa dos escopos 1, 2 e 3 até o ano fiscal de 2040 (final de 2040), em relação ao ano fiscal de 2020 (final de 2020).

Sobre o SBTi

A Science Based Target initiative (SBTi) é um organismo global que permite que empresas e instituições financeiras estabeleçam metas ambiciosas de redução de emissões alinhadas com a ciência climática mais recente. O objetivo da SBTi é acelerar empresas em todo o mundo para apoiar a economia global a reduzir pela metade as emissões antes de 2030 e atingir o NetZero antes de 2050. Além do Pacto Global das Nações Unidas, a colaboração da SBTi inclui CDP, o Instituto de Recursos Mundiais (WRI), o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) e um dos compromissos da Coalizão We Mean Business.

Leia Mais

Outras Notícias